miércoles, 17 de diciembre de 2014

Brasil 2014: Animais Pré-Históricos do Brasil

Artista: Rodolfo Nogueira
Processo de Impressão: Ofsete + verniz UV + verniz áspero
Folha: 24 selos, sendo 6 de cada motivo
Papel: Cuchê gomado
Valor facial: R$1,30
Tiragem: 900.000 selos
Área de desenhos:
25mm x 35mm - Prionosuchus plummeri e Oxalaia quilomboensis
35mm x 25mm - Pycnonemosaurus nevesi e Eremotherium lauriliardi
Dimensões do selos:
30mm x 40mm - Prionosuchus plummeri e Oxalaia quilomboensis
40mm x 30mm - Pycnonemosaurus nevesi e Eremotherium lauriliardi
Picotagens:
30mm x 40mm: 12 x 11,5
40mm x 30mm: 11,5 x 12
Data de emissão: 12/10/2014
Impressão: Casa da Moeda do Brasil





A quadra foi concebida a partir da paleoarte, ramo artístico que traduz os dados científicos em imagens. O primeiro selo retrata o período Permiano, há 270 milhões de anos. Em um lago que se localiza hoje em Parnaíba no Piauí, um Prionosuchus plummeri captura um peixe Ceratodus enquanto outro indivíduo descansa à sombra de samambaias Psaronius de 15 metros de altura. O segundo selo retrata a riquíssima fauna que viveu no período Cretáceo da Laje do Coringa, há 95 milhões de anos, onde hoje fica a Ilha do Cajual, Maranhão. Em destaque, um Oxalaia quilomboensis, se alimentando de um tubarão Atlanticopristis. Fora da água, um terossauro anhangueridae voando, uma família de dinossauros herbívoros Titanosauros à esquerda, alguns dinossauros pescoçudos da espécie Andesaurus e um dinossauro carnívoro, Masiakasaurus, à direita. Sob a superfície da água, é possível ver, em primeiro plano, um peixe do gênero Mawsonia e um tubarão Tribodus, em segundo plano, Lepidote, Pycnodontiforme, Myliobatis, Ceratodontidae e, ao fundo, outro indivíduo da espécie Atlanticopristis repousando no substrato marinho. O terceiro selo ilustra o período Cretáceo há 65 milhões de anos, na região de Uberaba, Minas Gerais. Um dinossauro carnívoro Pycnonemosaurus se alimenta da carcaça de um dinossauro herbívoro Uberabatitan ribeiroi. Ao fundo, veem-se dois dinossauros da mesma espécie se alimentado de coníferas e, na margem da lagoa, descansa um crocodiliforme Uberabasuchus terrificus. O quarto selo exibe dois Eremotherium laurillardi, que viveram durante o Pleistoceno, época que antecede a que vivemos. Em primeiro plano, um indivíduo se ergue em posição bípede para alcançar folhas no alto da árvore. Ao fundo, outro move-se em busca de uma árvore. A técnica utilizada foi ilustração digital com manipulação de polígonos, o que permitiu criar modelos virtuais em 3 dimensões.