martes, 8 de octubre de 2013

Brasil 2013: Olho de boi 90 Réis e 170 Anos do selo postal brasileiro

Selo Brasiliana 2013

Arte: G. Tardin
Processo de Impressão: ofsete + cor especial dourada + calcografia
Folha: 28 selos + 2 vinhetas
Papel: cuchê gomado
Valor facial: R$2,90
Tiragem: 600.040 selos
Área de desenho: 30mm x 40mm
Dimensão do selo: 30mm x 40mm
Picotagem: 12 x 11,5
Data de emissão: 1º/8/2013
Impressão: Casa da Moeda do Brasil



O selo traz a imagem do Olho de boi de 90 réis sobre o fundo dourado e divulga a exposição filatélica mundial BRASILIANA, em sua 5ª edição. No desenho do selo, sob os 90 réis, está oculto o número 5, em imagem latente, que pode ser vista inclinando o selo para trás sob boa iluminação. Trata-se da última das três emissões para comemorar os 170 anos do selo postal brasileiro, sendo que a primeira ocorreu no ano de 2011. Foram utilizadas as técnicas de calcografia e aplicação da cor especial dourada.

Bloco 170 Anos do selo postal brasileiro

Arte: G. Tardin e Juliana Souza
Processo de Impressão: ofsete + calcografia + cores especiais bronze no selo de 30 réis, prata no selo de 60 réis e dourada no selo de 90 réis
Bloco:  03 selos
Papel: cuchê gomado
Valor facial: R$3,15 cada selo
Tiragem: 150.000 blocos
Área de desenho: 30mm x 40mm
Dimensão do selo: 30mm x 40mm
Dimensão do bloco: 137mm x85mm
Picotagem: 12 x 11,5
Data de emissão: 1º/8/2013
Impressão: Casa da Moeda do Brasil



O bloco apresenta uma releitura do selo Olho de boi, em suas versões de 30, 60 e 90 réis, impressas em calcografia, contendo, em cada selo, uma imagem latente com o numeral 170. Essa emissão é a culminância da série que comemora os 170 anos do selo postal brasileiro, iniciada em 2011. Os selos localizam-se em faixas de cores metálicas, de bronze, prata e ouro, respectivamente. Acima, uma tarja calcográfica que se transforma em um código de barras, representando a continuidade entre
passado e futuro. À esquerda, são focalizadas a logomarca dos 350 anos dos Correios e da Brasiliana. Ao fundo, detalhes de um painel do Edifício Histórico dos Correios do Rio de Janeiro, que mostra elementos visuais relacionados à evolução do serviço postal no Brasil. As técnicas utilizadas foram computação gráfica e calcografia